domingo, 17 de junho de 2012

ESTRUTURA E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL

ESTRUTURA SOCIAL – relação entre fatores políticos, econômicos, sociais, culturais, religiosos que caracterizam uma sociedade.

ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL – É o modo como os indivíduos são classificados em estratos sociais e como ocorre a mobilidade de um estrato para outro.

TIPOS DE ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL:

SOCIEDADE DE CASTAS

A Índia é a sociedade de castas mais conhecida. Esse tipo de estratificação social surgiu há cerca de três milênios e é possível ser percebido até hoje apesar do sistema de castas ter sido oficialmente abolido em 1950. Essa estratificação se baseia principalmente na religião. Cada casta teria surgido a partir de uma parte do corpo do deus Brahman. A parte do corpo de onde nasceu cada casta determina o nível de pureza e valor de cada casta.

Existem quatro castas:
Bramânes – casta superior formada por sacerdotes, que surgiu da cabeça de Brahman;
Xátrias – casta intermediária formada por guerreiros, que surgiu dos braços de Brahman;
Vaixás – casta intermediária formada por comerciantes, que surgiu das pernas de Brahman;
Sudras – casta inferior responsável pelos trabalhos manuais, que surgiu dos pés de Brahman;
Além das quatro castas, existem os párias que não constituem casta porque surgiram da poeira que estava abaixo dos pés de Brahman.

CARACTERÍSTICA:

Imobilidade social

Essa imobilidade manifesta-se nos seguintes aspectos:
– A religião determinava os direitos e deveres de cada casta;
- Quem nascia numa casta não poderia mudar para outra;
- Não era possível o casamento entre membros de castas diversas;
- Cada casta só poderia consumir os alimentos próprios da sua casta e preparados por seus membros;
- Não era possível o contato físico com membros de outras castas.

Desintegração do sistema de castas
O sistema de castas indiano está sendo desintegrado ao pouco devido à presença do sistema capitalismo.
Atualmente, existe um programa de cotas para inclusão de castas consideradas inferiores nas universidades públicas.

SOCIEDADES ESTAMENTAIS

A sociedade medieval e a sociedade moderna eram sociedades estamentais. Esse tipo de estratificação baseia-se no nascimento.

A sociedade medieval dividia-se em:
Clero – formado por membros da baixa e da alta hierarquia da Igreja Católica, tinha a função de orar pela salvação das almas;
Nobreza – formada pelos guerreiros, tinha a missão de zelar pela segurança da sociedade;
Servos – formada pelos trabalhadores, tinha a função de prover o sustento de todos os outros estamentos.

A sociedade francesa moderna dividia-se em:
Primeiro Estado – formado pelo clero, membros da baixa e da alta hierarquia da Igreja Católica;
Segundo Estado – formado pela nobreza provincial, cortesã e de toga;
Terceiro Estado – formado pela burguesia, profissionais liberais, artesãos, operários e camponeses.

CARACTERÍSTICA:

Pouca mobilidade social.

Essa pouca mobilidade manifesta-se nos seguintes aspectos:
- O nascimento determinava os direitos e deveres de cada indivíduo;
- A propriedade da terra era o maior símbolo de poder;
– Quem nascia num estamento dificilmente poderia mudar para outro;
- Era muito difícil o casamento entre membros de estamentos diversos.
- Cada casta só pode consumir os alimentos próprios da sua casta e preparados por seus membros.
- Não é possível o contato físico com membros de outras castas.

DESIGUALDADES SOCIAIS

Nos dois tipos de sociedades estudadas a pobreza era a expressão mais visível das desigualdades. A diferença é que a na sociedade de castas a pobreza é definida pela religião e na estamental a pobreza é definida pelo nascimento.
A partir do século XVI, os pobres passaram a ser considerados como ameaça social e o Estado assumiu a função de discipliná-los.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário